domingo, janeiro 31, 2016

Imagine Dragons



Depois de um hiato dos mais longos neste blog tão querido, volto a postar uma dica musical. Talvez a dica seja mais para mim do que para vocês, já que foi hoje que eu, finalmente, parei para escutar Imagine Dragons.

PS: devo ser a última pessoa que ainda não tinha parado para ouvir essa banda. Eu, a única, atrasadinha das melodias, a offline do mundo musical. Ok, parei.

Na verdade eu já conhecia Radioactive, só não sabia quem cantava.

Hoje passei o dia ouvindo uma setlist com as melhores músicas do Imagine Dragons, dentre elas, Shots. Posso dizer que entendi o significado da palavra viciante.

sexta-feira, janeiro 01, 2016

Livros lidos em 2016

domingo, outubro 05, 2014

Poesia alada



Há momentos, preciosos, em que a poesia se materializa na sua frente para dizer um "olá". Quando isso acontecer, pare o que estiver fazendo e observe. Essa semana aconteceu comigo.

Era uma manhã chuvosa, como tantas outras. A poesia cruzou o meu caminho como um convite para o inesperado. Mas ela ficou presa, de repente, abocanhada por um imenso monstro de vidro. A poesia alada, privada de sua liberdade, foi sendo levada para lugares desconhecidos. Em vão tentava encontrar uma saída daquele estranho labirinto. O mundo estava ali tão perto, tão tangível, mas ao mesmo tempo tão inacessível. Há momentos em que o inesperado pede uma atitude de você. Quando isso acontece, o que você faz?

Não pude resistir a tamanha maldade. Num momento de distração da grande fera de vidro, peguei a poesia alada em minhas mãos e resgatei-lhe o dom da liberdade. É preciso deixar a poesia livre.

 *A poesia alada era uma linda borboleta amarela que ficou presa no ônibus em que eu estava, a caminho da faculdade.

sábado, fevereiro 08, 2014

Nesse peito bate um coração

Arquivo pessoal


"O gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Um gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês."
Artur da Távola

segunda-feira, dezembro 02, 2013

São as pequenas coisas...




Penso que são as pequenas coisas do dia a dia. Os pequenos gestos, as pequenas palavras, os pequenos olhares, o carinho daquele amigo chegado, que dão à vida um sabor de grandeza. Por alguns instantes a alma chega a sentir o gosto do infinito.