segunda-feira, setembro 14, 2009

Sina de amor

Dizem que a poesia nasce da dor
que os poetas morrem de amor
sem jamais o encontrar.

Dizem que a gente tem que ser valente
ter disciplina, ser competente
pra ter o que se deseja alcançar.

Dizem que o amor é paciente
a paixão, um fogo ardente
sem que venha a se consumar.

Mas a minha sina de dor
é uma sina de amor
no fogo eterno das palavras.

2 comentários:

Suênio Alves disse...

Oi Cristina,
estava vendo o seu blog. Gostei deste poema. quando der faz uma visitinha no meu blog. http://foradazonadeconforto.blogspot.com
Mora no Rio? eu estou morando em Juiz de Fora.

abraço
Suênio

Cristina Danuta disse...

Oi Suênio. Obrigada.
Também gostei do seu blog. Muito pertinente. Já estou seguindo.
Sou do Rio sim. Seja bem vindo ao blog e volte sempre.
Abraços.