quarta-feira, outubro 14, 2009

Uma Visita Inesperada




Hoje à tarde fui brindada por uma visita inesperada. Estava na minha mesa de trabalho quando, de repente, entra na sala um lindo beija-flor azul. Explico: minha mesa fica ao lado da porta que dá para a varanda. Em dias quentes, como hoje, ela costuma ficar aberta. Pois bem, o fato é que o pequeno se sentiu convidado e entrou, sem a menor cerimônia. Deu uma espiadela na sala e partiu com a mesma rapidez da chegada. Foi breve, mas alegrou meu dia.

Isso me fez lembrar da vez que tive de desamarrar um filhote de beija-flor que havia se enroscado todo numa linha de pipa (cheia de cerol) e ficou preso numa árvore no quintal lá de casa. A árvore não era muito alta, mas tive de pegar uma escada. A mãe do bichinho sobrevoava aflita a minha cabeça (e eu aflita com medo dela me bicar). Pequei o pequeno na mão, com cuidado para não o machucar e com uma tesoura fui cortando a linha. O coraçãozinho dele batia numa velocidade impressionante. Estava assustado, mas me deixou ajudá-lo. Finalmente desamarrado o coloquei sobre um galho e logo a mãe beija-flor o agarrou e o levou para longe.

Nunca vou me esquecer. Aquela criatura tão bonita e tão frágil nas minhas mãos. Dizem que o coração de um beija-flor bate cerca de 500 vezes por minuto (em repouso) e eles são as únicas aves que conseguem parar no ar. Que criaturas maravilhosas. De uma beleza delicada e singular.

Com Deus é assim também. Precisamos aprender a confiar nEle. As vezes não entendemos seu agir, queremos fazer as coisas à nossa maneira e aí a "linha cheia de cerol" acaba nos machucando. Deixar Deus fazer as coisas à sua maneira é o melhor, mas também o mais difícil. Se aquele filhote de beija-flor tivesse ficado desesperado e começasse a querer sair de qualquer maneira da minha mão, a linha com cerol o teria ferido. O pequeno me deu uma lição aquele dia. O cuidar de Deus é presente, no dia a dia. E Ele se expressa nos detalhes: no abraço de um amigo, no sorriso de uma criança, na beleza das flores, na mansidão de um filhote enroscado ou num voo de "boa tarde" de um beija-flor.

Um comentário:

Marcia Carvalho disse...

O beija-flor alegrou sua tarde e seu texto alegrou o começo do meu dia!

Que Deus continue lhe inspirando através das coisas simples que atravessam o seu caminho!

Beijão!