Coffee Book (3)

12:00




Já tinha ouvido falar muito bem dos livros de Brennam Manning. Em especial "O Evangelho Maltrapilho" e "O Impostor que Vive em Mim", os quais, já estão na minha lista de próximas leituras. Mas meu primeiro contato com seus escritos foi através do livro "Confiança Cega". Confesso que estranhei um pouco o título. Não se deve confiar em ninguém cegamente, eu pensei. A nossa confiança deve ter base sólida e deve ser algo racional, mesmo em relação à Deus. A bíblia não nos diz que o nosso culto deve ser racional? Então a nossa confiança também deve. A minha birra, como já deve ter dado para perceber, foi com a palavra cega. Para mim essa palavra lembrava irracionalidade, falta de foco. Cego é aquele que não vê, não enxerga. Era como se ela estivesse querendo dizer para eu deixar as coisas se ajeitarem ao sabor do vento...Eu não conseguia achar compatível uma confiança dita cega. Até ler o livro.


Na verdade a minha birra era com a palavra confiança. Eu sempre fui uma pessoa um tanto quanto fechada , e consequentemente, desconfiada também. Creio que isso se deveu, em parte, a determinadas experiências vividas.... Não gosto muito de "abrir meu coração". Já tive experiências péssimas com isso... Talvez seja parte da minha personalidade também. Existe uma toca dentro de mim, na qual eu entro em momentos de exílio interior, e ninguém mais me acha. Só Deus. Mas percebi que muitas vezes eu o deixo do lado de fora. Ele fica lá, esperando o convite e eu não o convido para entrar...


Lendo Manning pude ser confrontada com muitos dos meus medos relacionados à confiança em Deus. Não ter o controle das coisas me aflige. Pude perceber o que eu já desconfiava. Eu não confio tanto em Deus como eu gostaria. Percebi, de forma mais clara, como eu careço de sua misericórdia diariamente. "Aquilo que eu quero, eu não faço e o que eu não quero, eu faço" já dizia o apóstolo Paulo. Mas pude ver também que o Seu amor me alcança até mesmo diante das minhas fraquezas. Que a sua misericórdia ultrapassa a minha falta de fé. O amor de Deus me constrange profundamente. Não o entendo. Não consigo alcançar. Sou limitada demais. Mas Ele, que é a fonte do Amor, tem me convidado, mesmo diante dos meus deslizes, a confiar no seu sublime amor. A confiança que eu preciso ter não vem de mim, vem Dele. Afirmo que possuo mais perguntas do que respostas. Continuo caminhando sem ter o controle absoluto do que me cerca, mas isso tem deixado de me afligir com tanta frequência. Estou aprendendo a amar e a deixar ser amada por Ele. Também estou aprendendo a deixar uma frestinha da porta da toca entreaberta, para que , quando eu o vir chegando, possa convidá-lo a entrar...


Trechos do livro:


"O caminho da confiança cega não é uma abstração, mas uma realidade concreta, visível e impressionante. Ela dá definição ao nosso viver, revela o que dentro de nós gera vida, determina as decisões que tomamos e as palavras que falamos, estimula nossa consciêncoa, nutre o nosso espírito, impacta nossa interação com os outros, sustenta nossa vontade de dar sentido à vida e reveste de carne e osso nosso jeito de ser no mundo... É claro que crescer na confiança não é algo automático. A coisa que mais precisamos não pode ser suprida por nós mesmos... O Jesus crucificado não é um mero exemplo de heroísmo para a igreja. Ele é o poder e a sabedoria de Deus, e seu amor é capaz de transformar nosso coração covarde e incrédulo num coração fortalecido pela confiança de que é amado. Não há nada que precisemos fazer, exceto permitir que nosso eu indigno e ingrato seja amado no estado em que nos encontramos. A confiança acontece! Você confiará nele a ponto de saber que é amado por ele."

You Might Also Like

0 comentários

Seguidores

Follow by Email