sábado, junho 19, 2010

Coffee Book (5)



Ganhei este livro como presente de amigo oculto no final do ano passado. O mais engraçado é que, no dia,  fizemos um sorteio entre os participantes, de modo que cada um só ficou sabendo que livro receberia na hora da entrega. E não é que eu fui ganhar justamente um livro sobre  história! Eu, que não gosto nem um pouco de história...rs. Falem a verdade. Foi um sinal! Uma predestinação! O fato é que eu a-do-ro história! Se for, então, sobre civilizações antigas, me pegam de jeito. Se eu não fizer uma faculdade de história, farei uma pós ou um mestrado na área.

Geoffrey Blainey encanta a cada página. Ele vai descrevendo eventos desde as civilizações mais antigas, passando por queda e ascenção de impérios, até costumes de povos remotos, detalhes que não são relatados nos costumeiros livros didáticos e as grandes descobertas da ciência ao longo da história. Uma Breve História do Mundo  é um livro para se ler com gosto e com calma, isso porque, caro leitor, você fará uma viagem no tempo. Num momento, estará participando do berço da democracia e no outro estará num navio rumo a grandes descobertas que mudarão a vida e os costumes de milhares de pessoas ao redor do mundo. Conhecerá bárbaros, filósofos, cientistas, aborígenes, navegadores, reis e rainhas, além de pessoas comuns, que acabaram entrando para a história. 

Trechos:

"O papel e a tinta haviam chegado à Europa bem antes da técnica da impressão. O papel foi inicialmente manufaturado na China, no Japão e na Coréia e, logo no início do ano 751, vários artesãos chineses que detinham esse conhecimento foram capturados e transportados para Samarcana, na parte central da Ásia, onde revelaram suas técnicas, manufaturando, assim, o primeiro papel em folhas grossas, num lugar que os chineses poderaim muito bem ter chamado de Ocidente Próximo...

...Johannes Gutemberg, residente em Mogúncia (ou Mainz), cidade alemã à beira do rio de mesmo nome, foi talvez o primeiro europeu a imprimir um livro, usando não somente a imprensa, mas também as letras ou tipos de metal. Sua técnica, quando aperfeiçoada, era igual à usada mais tarde pela máquina de escrever...

...A técnica de impressão sobre papel foi uma revolução social. A Europa estava pronta para ela e ansiosa por usá-la e melhorá-la, pois o fim do século 15 foi a época de seu despertar intelectual. A imprensa acelerou esse despertar."

Um comentário:

Brasil Desnudo disse...

ótimo livro de Geoffrey BlaineY, o li e amei.. Muito bom mesmo.

Bjs

MARCIO RJ