Você não sabe o quanto eu caminhei pra chegar até aqui...

02:00



Estou em período de férias na faculdade. Alguns anos antes era bem difícil me imaginar nesta situação. A escolha de uma carreira, de uma profissão, e consequentemente daquilo ao qual que você pretende dedicar a sua vida, não é uma decisão fácil para ninguém. Mas quando aquela voz bate no peito e você sabe que é por aquela direção que deve seguir, mesmo que tenha relutado durante anos e que as dúvidas e incertezas existam, você segue em frente. É preciso caminhar.

Pode ser que nem todos compreendam bem o que você pretende, mas como um desbravador de águas incertas e pouco conhecidas, você se lança ao mar e pede as bênçãos de Deus, das estrelas e dos poetas, porque como disse Pessoa "viver não é preciso, mas navegar é".

Noites em claro, finais de semana recheados por pilhas de livros e mais livros. Cansaço. Ansiedade. Decepção. Mais uma tentativa. E outra. E outra. Desistir não é um verbo que eu conjugue com facilidade. Dizem que os capricornianos são teimosos. Até que, um dia, a notícia vem de um jeito que a ficha demora um pouco a cair. Passei.

"Ei, você está vendo aquele prédio? Um dia vou estudar ali". Ainda consigo ouvir a voz da menina que um dia disse isso para si mesma. Sabe aqueles sonhos que demoram um pouco a se tornar reais? Você espera por aquilo tanto tempo e quando, de repente acontece, você se sente meio anestesiado. Talvez seja o impacto da coisa toda.

A anestesia chegou ao fim depois de cinco meses de estudos, provas, fichamentos e aulas. Uma maratona de novidades: desde os professores aos colegas de turma, das figuraças com quem você se depara quase todos os dias aos novos amigos, das festas no meio da semana (essa gente não estuda?!) enquanto está tendo aula nas salas! Em apenas dez minutos você aprende a ir ao banheiro, tirar pilhas de xérox e fazer um lanche. Tudo isso enfrentado fila. Um verdadeiro recorde!

O clima universitário é completamente diferente do que estamos habituados no colégio. Se por um lado você é "dono do seu nariz" e não tem ninguém pra te mandar fazer isso ou aquilo (teoricamente você pode sair da sala quando bem entender, se não quiser assistir aula não assiste, se preferir ficar na festinha ao invés de assistir a aula pode), por outro lado você não tem ninguém pra te mandar fazer nada, ou seja, se você não abrir o olho, no fim do semestre estará lascado. É justamente nesse período que muitos jovens começam a conhecer o significado da palavra responsabilidade. Ou amadurecem ou "morrem". Navegar é preciso, mas se você cair no canto das sereias, o barco afunda. É preciso seguir a bússola que aponta para o norte.

Não me arrependo de não ter começado antes. Sinto que agora fiz uma escolha madura e que poderei aproveitar este periodo bem mais do que se tivesse feito a mesma escolha anos atrás. Esta é mais uma etapa que começo a atravessar. Daqui para frente sei que as coisas não serão fáceis (quem disse que seria?) Isso é só o começo. Ajusto as velas e espero o vento soprar... que venha agosto.

You Might Also Like

0 comentários

Seguidores

Follow by Email